7 dicas da Chapada dos Veadeiros

É de dica de viagem que vocês gostam, é dica de viagem que vocês vão ter neste post! Minha visita à Chapada dos Veadeiros foi em junho, mas acredite: o que vocês vão ler a seguir não fica desatualizado e será útil quando você resolver conhecer os lugares maravilhosos desse canto mágico do Goiás!

Continue Lendo “7 dicas da Chapada dos Veadeiros”

Anúncios

Entenda as monções asiáticas antes de planejar sua viagem

“Monções asiáticas” foi a primeira coisa que joguei no Google antes de começar a planejar minha viagem para o sudeste asiático. Antes mesmo de marcar minhas férias, afinal eu tinha que saber qual seria o mês ideal para viajar para lá, dentro das minhas possibilidades. Depois, quebrei a cabeça para encaixar o roteiro que eu queria dentro do calendário das monções. Indonésia ficou para a próxima, por exemplo, porque o mês que eu escolhi – novembro – já era época de monções por lá. Por outro lado, era o período ideal para conhecer a Tailândia (e mesmo assim conheci  as tais monções pessoalmente, durante alguns dias das férias).

Para ajudar um pouco quem está pensando em ir para lá, resolvi fazer este post explicando como as monções asiáticas funcionam. Primeiro de tudo:

O que são monções asiáticas?

Pense numa chuva torrencial. Multiplique isso por mil. Numa época do ano chove intensamente, noutra, vem a seca. Essa sazonalidade é explicada pela mudança da direção dos ventos de monções – do Oceano Índico para o continente (monção de verão) ou do continente para o oceano (monção de inverno). Quando as monções chegam é um festival de alagamentos, tempestades, raios e tufões. Coisa séria, mesmo.

Ok, então quando ir para a Ásia?

Depende. Para onde você quer ir? É que algumas épocas do ano são favoráveis para conhecer alguns lugares e desaconselháveis para visitar outros.

Vamos ao calendário, lembrando que mesmo na época seca é possível que você se depare com alguns dias de chuvas intensas e intermitentes, como foi o meu caso. Dos 32 dias de viagem, peguei chuva em 4 ou 5 dias, mas foi aquela senhora chuva…

Tailândia: Como o país possui dois mares diferentes, são duas monções. Costa oeste (Phuket, Koh Phi Phi, Krabi, etc): as monções vão de abril a outubro. Costa leste (Koh Samui, Koh Phangan, Koh Tao, etc): as monções vão de setembro a dezembro.

Laos: As monções vão de maio a novembro.

Camboja: As monções vão de maio a outubro, então a melhor época para conhecer é de novembro a abril.

Vietnam: As monções vão de maio a outubro e a época de furacões é de julho a novembro.

Indonésia: As monções vão de outubro a março.

Filipinas: As monções vão de maio a outubro.

Índia: As monções vão de julho a setembro.

Malásia: Assim como a Tailândia, a Malásia também tem duas monções. A costa leste tem monções de novembro a março e a costa oeste de maio a outubro.

Sri Lanka: Também tem duas monções. Sudoeste de maio a agosto e nordeste de outubro a janeiro.

Sul da China: As monções vão de abril a setembro.

 

Vale a pena levar esses períodos de monções em consideração antes de marcar sua viagem para lá, porque as monções podem estragar suas férias com tantos perrengues, além de serem perigosas.

Vamos economizar para viajar?

Vira e mexe tenho algum amigo falando que “queria ser rico que nem a babi pra viajar”. Migos, parem! Isso me deixa irritada porque não só não é verdade como é um absurdo. Sim, é um absurdo achar que só viaja quem é rico. Então resolvi fazer esse post para provar que é possível viajar sem ser rico. O segredo: ECONOMIZAR.

Passo o ano inteiro poupando, deixo de sair, deixo de comprar roupas, sapatos, mimos pessoais… Vivo fazendo contas e planejando a próxima viagem de acordo com meu orçamento. Ou seja: sou a chata que nunca tem dinheiro pra nada, pensa 30 mil vezes antes de gastar com alguma coisa (de cursos a sapatos) e vive pechinchando. Mas, pra quem não tem esse hábito, poupar dinheiro pode ser bem complicado. Pensando nisso, resolvi compartilhar o método das 52 semanas. Tudo o que você precisa ter é disciplina.

Vamos lá:

O ano tem 52 semanas. O método consiste em poupar dinheiro por um ano, acrescentando o valor inicial a cada semana, até completar 52 semanas. Você decide com quanto pode começar a brincadeira, de acordo com seu orçamento e/ou seus planos de viagem.

Vamos supor que você possa começar com R$1,00. Na segunda semana, você deve economizar R$2,00. Na terceira, R$3,00… e assim vai. Na 52ª semana você deverá economizar R$52,00 e já terá poupado R$1.378,00. Se você tiver um orçamento mais folgado e quiser começar com R$10,00 na primeira semana, no final de 1 ano terá economizado R$13.780,00.

Tudo vai depender do seu orçamento… e do seu plano de viagem! Se seu sonho é ir para um mochilão na Europa e em pesquisas iniciais você viu que não conseguiria juntar o dinheiro necessário em 1 ano, aumente o número de semanas do método até você conseguir juntar a grana! Aos pouquinhos sua “poupança viagem” aumenta e o sonho sai do papel! Até porque quando a gente planeja com antecedência, tudo sai mais barato – de passagens aéreas a hospedagens!

Outra maneira de economizar é pagar tudo no cartão de crédito. Calma, economistas, não me matem. Não estou falando para criar dívidas, mas para usar o cartão de crédito no lugar do de débito. É porque muitos bancos têm parcerias com programas de milhagens e se você conseguir retirar suas passagens de ida e volta por milhas já será um belo adianto! Até porque vira e mexe os programas de milhagem fazem promoções e baixam a quantidade de milhas pra alguns locais ou então permitem que você complete o valor da passagem com dinheiro, saindo mais em conta… Tem que ficar de olho, mesmo!

Ah, e entrou aquela graninha extra, ganhou R$400,00 na quadra da mega sena, fez aquele freela no final de semana, recebeu uma herança, achou dinheiro no chão, etc? Coloca essa grana “inesperada” no cofrinho da viagem!

 

E aí, vamos economizar? Qual será seu próximo destino?

O que todo viajante deve saber sobre a tal da vacina contra Febre Amarela

Antes de fazer qualquer viagem é sempre bom dar uma olhadinha nas exigências para visitar seu destino, como visto ou vacinação. Muitos lugares exigem a vacina contra Febre Amarela, no Brasil e no exterior.

Se você vai sair do país, precisa pegar o certificado internacional com pelo menos 10 dias de antecedência da data de embarque. A boa notícia é que desde julho de 2016 a vacina contra febre amarela é válida para a vida toda. Quem tomou a vacina antes de julho pode ficar tranquilo: ninguém pode impedir a entrada de viajante portando o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. A validade não importa mais, o importante é vacinar.

Para isso, basta se dirigir a qualquer posto de saúde municipal ou estadual com seu documento de identidade. É gratuito, não precisa marcar hora e juro que não dói! Ao se vacinar, você recebe um comprovante de que tomou a vacina, mas não é esse comprovante que você deve apresentar lá fora, não! Guarde esse papelzinho e leve a um dos centros de atendimento da Anvisa. O comprovante internacional fica pronto na hora.

Alguns postos de saúde também emitem o certificado internacional, então você consegue resolver essa pendência no mesmo dia, no mesmo lugar. Procure saber se o posto que você deseja se vacinar emite o certificado internacional.

Se você, assim como eu, se vacinou em algum momento da vida e perdeu o certificado, não entre em pânico: peça a segunda via em algum centro de atendimento da Anvisa.

Alguns lugares que exigem a vacina contra febre amarela: México, Bolívia, República Dominicana, todos os países da África (exceto o Sudão do Sul), Austrália, Arábia Saudita, China, Índia, Camboja, Tailândia, Laos, Vietnã, Filipinas, Indonésia…  Para ter a lista completa, acesse o site da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Boa viagem!

 

 

 

 

5 dicas para amenizar o jet lag

Você pode gostar muito de viajar, mas seu corpo com certeza não é muito fã de mudanças de fuso horário. Cansaço, sonolência ou insônia, irritação, náusea e dor de cabeça são alguns dos sintomas do chamado jet lag, transtorno que ocorre quando o relógio biológico não está sincronizado com o horário local.

Algumas pessoas apelam para o uso de medicamentos para amenizar os efeitos do jet lag e não perder tempo na viagem de férias com a adaptação do corpo. Para quem, assim como nós, prefere não usar remédios para amenizar o jet lag, separamos 5 dicas que farão seu corpo sentir menos as diferenças de fuso horário. Tome nota e boa viagem!

Dica 1: Comece a entrar na rotina do local antes de viajar

Alguns dias antes da viagem, vá dormir mais cedo ou mais tarde, de acordo com o fuso horário do seu destino. O mesmo vale para os horários das refeições. Adapte-se aos pouquinhos para ajudar seu corpo a se acostumar com a nova rotina quando chegar.

Dica 2: Ajuste seu relógio antes de chegar

Já vai se preparando psicologicamente e comece a pensar no horário local. Parece uma dica bobinha, mas ajuda bastante.

Dica 3: Respeite o horário local

Isso significa comer e dormir de acordo com o horário local. Se esforce para respeitar todas as refeições, mesmo que não esteja com fome; para dormir, mesmo que não esteja com sono; e para acordar, mesmo que esteja sonolento.

Dica 4: Não cochile ao chegar

Tirar um cochilo depois de um voo cansativo pode ser irresistível, mas tente ficar acordado para não atrapalhar o sono da noite. O ideal é sair para passear até ficar exausto e aí dormir cedo neste primeiro dia, respeitando o horário local. Se você estiver voltando de viagem, faça uma pequena caminhada ou algum exercício físico bem leve.

Dica 5: Beba água

Na verdade essa dica serve para tudo na vida: gripe, dor de barriga, ressaca, inchaço e jet lag! O ideal é beber bastante água durante e depois da viagem para diminuir os efeitos do ar seco dos aviões. Atenção: é para beber água. Nada de café, energéticos ou bebidas alcoólicas, pois essas bebidas pioram os efeitos do jet lag.

10 apps para você baixar antes de viajar

Passagens compradas, hospedagens reservadas, malas prontas e aquela ansiedade natural e deliciosa que antecede uma viagem. Para te ajudar a se livrar de alguns perrengues e deixar sua experiência de viajante mais prazerosa e eficiente, separamos 10 aplicativos para você baixar antes de sair para desbravar o mundo.

Maps.me

O Maps.me é um app de mapas que funciona offline para você não gastar roaming internacional ou ficar dependente de Wi-Fi. Antes de viajar, baixe o app e os mapas das cidades que você vai visitar. Ele traça a melhor rota, mostra opções de restaurantes e pontos turísticos ao seu redor e não ocupa muita memória no seu dispositivo. Eu uso nas minhas viagens e recomendo muuuuito!

Gratuito e disponível para Android e iOS

Screenshot_20160618-212038.png Screenshot_20160618-212553.png

XE Currency

Aplicativo de conversão de moedas. Permite escolher algumas moedas como favoritas e te ajuda a não ficar fazendo muita conta pra saber se alguma coisa está cara ou barata. Eu uso esse app mesmo antes de viajar, quando preciso comprar alguma coisa com antecedência e o preço está indicado na moeda local.

Gratuito e disponível para Android e iOS

Screenshot_20160618-213956.png

Flightaware

Quer saber se seu voo está atrasado ou quanto tempo vai durar a viagem até seu próximo destino? Esse app monitora os status de voos do mundo todo e fornece informações como a duração da viagem e o mapa com a rota. Minha mãe usa muito quando eu viajo, rsrs…

Gratuito e disponível para Android e iOS

Screenshot_20160618-214924.png Screenshot_20160618-215001.png Screenshot_20160618-215006.png

Accuweather

Não sabe se precisa colocar na mala 1 casaco ou 10? Será que vai estar Sol no dia que você está planejando pegar uma praia? O app te diz com até 15 dias de antecedência a previsão do tempo de qualquer lugar do mundo. Claro que em se tratando de condições climáticas tudo pode mudar, mas já dá um bom indicativo do clima que você vai encontrar no seu destino.

 Gratuito e disponível para Android e iOS

accuweather-com-widget-20.jpg

Dufry Reserva

Se seus amigos ficaram sabendo da sua viagem para o exterior, te encheram de encomendas do Duty Free e tudo o que você não quer é ficar rodando naquela loja para encontrar todos os itens solicitados, seus problemas acabaram! Com esse app você pode reservar os produtos de todas as lojas DUFRY no Brasil e informar se vai pegá-los na ida ou na volta. O pagamento é feito na retirada.

Gratuito e disponível para iOS

screen568x568

Google Tradutor

Parece meio óbvio, mas tem gente que esquece que esse app existe quando está num país de outra língua. Ele traduz textos para 80 idiomas e ainda mostra como se pronuncia. Há um recurso que ouve a voz e traduz logo em seguida.

Gratuito e disponível para Android e iOS

Traduzir-idioma-no-Google-Translate-para-Android.png

Wi-Fi Finder

Mostra onde em um mapa estão os pontos de free Wi-Fi mais perto de você.

Gratuito e disponível para Android e iOS

unnamed wi-fi-finder-3.jpg

WiFi Map

Se não tem Wi-Fi aberto perto de você, tente o app WiFi Map. Ele te mostra a senha de redes protegidas perto de você. O app funciona de forma colaborativa: os próprios usuários alimentam o banco de dados com informações sobre os pontos de acesso disponíveis naquela região.

Gratuito e disponível para Android e iOS

screen568x568 (1).jpeg london_map_wifi_map.png

Hotel Tonight

Teve algum problema na reserva de hospedagem, não gostou quando chegou ao local ou resolveu viajar sem se planejar muito? o Hotel Tonight mostra as melhores ofertas de hotel para reservas de última hora (ou com até 1 semana antes do tempo) em mais de 80 cidades de 12 países.

Gratuito e disponível para Android e iOS

storeicon_3.png Screen-Shot-2013-07-15-at-12.16.49-AM.png

TripIt

Sou dessas que viajam com uma pastinha cheia de voucher de hotel, bilhetes aéreos, ingressos comprados com antecedência, etc etc. Mas se você não quiser andar com essa papelada toda, indico o TripIt. Ele organiza TUDO da sua viagem. O sistema do aplicativo importa todos os emails referentes à viagem e junta tudo num “roadmap”. Se você tem Gmail isso é feito automaticamente e se você não tem, basta enviar todos os emails para plans@tripit.com. Estou considerando seriamente usar o TripIt nas minhas próximas férias e deixar a pastinha de papéis em casa…

Gratuito e disponível para Android e iOS

 

tripit-screenshots.jpg

 

Ctrl+Shift+N

Antes de começar a pesquisar passagens ou hospedagens para suas próximas férias, aperte essas teclas no Google Chrome. Elas são o atalho para a janela de navegação anônima. Isso significa que as páginas visitadas não ficam armazenadas no histórico do navegador nem nos cookies e nem no histórico de pesquisa depois que as são fechadas.

20150115101023_660_420

O que isso tem a ver com viagens? Simples. Se você não pesquisar na janela de navegação anônima, os sites de passagens e hospedagens ficam sabendo que você deseja viajar para aquele local, naquela data aproximada e, por causa da lei da oferta e da procura, aumentam os preços na próxima vez que você pesquisar. É aquela velha história: quem precisa mesmo ir naquele dia para aquela cidade vai acabar pagando de qualquer jeito, mesmo que seja caro. Então, para evitar que suas férias extrapolem seu orçamento, não custa nada pesquisar o menor preço na janela de navegação anônima.

Aliás, isso serve para qualquer coisa que você pense em comprar, porque além do risco de aumentarem o preço só porque você está pesquisando aquilo, você depois tem que ficar encarando o produto ou serviço procurado por um bom tempo em todos os sites que você pensar em navegar. Chato, né? Então já sabe: Ctrl+Shift+N.